CHEIRINHO DE TALCO

 

"Aposto que você não gostaria de se chamar Hermengarda. E se tivesse esse destino, ia torcer muito pra que um apelido bem charmoso pegasse em você. Aposto." Quem fala é uma menina que escapou de ter o mesmo nome que a bisavó. Assim ela começa a contar a história que você vai ler neste livro. Uma história bonita, emocionada, na qual a menina descobre a ternura e o perfume que podem existir em um nome.

 

Autêntica, 2012.

Texto e ilustrações de Aline Abreu.

Projeto gráfico Diego Droschi.

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/4